Pilates: fitness, prevenção e reabilitação




 

Corpo forte, flexível e resistente. Maior equilíbrio e coordenação motora, além de melhor postura e concentração. Não é a toa que o Pilates virou moda, sobretudo entre os mais jovens, e depois se disseminou para o público em geral. Cada vez cresce o número de adeptos desse método criado pelo alemão Joseph Pilates durante a Primeira Guerra Mundial. Nos últimos anos, a quantidade de desejosos em conseguir um corpo mais esculpido popularizou o Pilates no mundo fitness. Mais recentemente, a metodologia passou a ser indicada por médicos para ajudar na prevenção ou recuperação, sobretudo, de dores e lesões.

A rápida percepção dos resultados tem impulsionado a procura pelo Pilates, ainda mais porque não há contraindicação. Pode ser praticado por qualquer um, inclusive crianças, grávidas ou idosos. Nunca é tarde para começar. O Pilates trabalha o corpo todo. Os movimentos devem ser feitos vagarosamente e é da correta execução deles, com suavidade, controle de respiração, ritmo e precisão, que dependem os resultados. A pessoa precisa se concentrar no exercício, o que potencializa o resultado.

O programa é adaptado para cada pessoa. Ajudar na reabilitação do paciente está na essência do método. O que muda é o grau de dificuldade e de resistência do exercício oferecido. Há pacientes que passam por cirurgia no ombro ou joelho e combinam fisioterapia e Pilates no tratamento pós-operatório. Em geral, os resultados vêm até três meses antes do que utilizando apenas o método convencional, desde que feitas ao menos duas aulas semanais. Segundo o próprio Joseph Pilates, após 10 aulas já se percebem os resultados, em 20 o corpo está diferente e em 30 já é "outra pessoa".

No fitness quanto na reabilitação, as técnicas adotadas são as mesmas, seja em movimentos no solo ou em aparelhos, e até na água. É possível adaptar exercícios, mantendo o conceito do método e usar faixa elástica, bola, entre outros. As aulas podem ser diferentes, pois dá para criar novos movimentos a partir de combinações, assim, não ficam repetitivas e monótonas. A tendência é que esse processo de aperfeiçoamento e evolução do Pilates continue, a fim de tornar seus exercícios ainda mais eficazes e, por consequência, arrebanhar novas multidões de seguidores. O que se nota é que a moda do Pilates parece que veio para ficar.


Comente:

Nenhum comentário