Exercícios no solo costumam exigir mais esforço e trazem resultados mais rápidos





 A lista é longa: consciência corporal, ajuste da postura, melhora da respiração, tonificação dos músculos, mais equilíbrio e coordenação. E esses são só alguns dos benefícios que o pilates traz para seu corpo. Que o exercício é ótimo você já sabe, mas e o método ideal? Existem duas classificações básicas para o pilates: a modalidade no solo, também chamada de Mat Pilates, e o pilates feito com a ajuda de aparelhos. O melhor é escolher de acordo com os seus principais objetivos. A seguir, pontuamos as principais diferenças entre os dois métodos. Cheque e decida!

Pilates no solo - foto: Getty Images

Esforço

Pilates com aparelhos: a estrutura básica dos aparelhos de pilates é composta por molas, que podem ser usadas de duas maneiras diferentes: elas podem reduzir o esforço que o praticante tem que fazer - carregando parte do peso que você deveria estar puxando e dando um impulso ao movimento -, ou aumentar, servindo como uma resistência - assim, é preciso "aumentar o tamanho da mola". A escolha de como usar essas molas depende dos seus objetivos, dá para facilitar ou dificultar.

Pilates solo: o pilates solo não oferece essa opção, portanto, pode ser considerado um exercício que exige maior esforço do praticante. "No entanto, isso não significa que a técnica vá ser difícil para todos, há quem tenha um bom desempenho até nas primeiras aulas", conta a fisioterapeuta Débora Alves, professora de pilates da Academia Leven.

Pilates com aparelho - foto: Getty Images

Para iniciantes

Pilates com aparelhos: "Como esse método exige menor esforço, pode ser uma boa opção para quem está começando", explica Débora.

Pilates solo: mas se você optar pelo solo, saiba que existem aulas básicas, intermediárias e avançadas, que se ajustam melhor às suas necessidades.

Pilates no solo - foto: Getty Images

Para quem tem lesões

Pilates com aparelhos: com os aparelhos é mais fácil moderar a amplitude do movimento e a força aplicada pelas áreas lesadas. "Mas a principal vantagem desse método para quem tem lesões prévias é o baixo número de praticantes por turma - que costuma ser de dois a três indivíduos - por isso, a vigilância do professor é maior", explica a fisioterapeuta Débora.

Pilates solo: essa modalidade é comum em academias, com grandes turmas, por isso a supervisão de um profissional pode não ser constante o suficiente para garantir que você não faça nenhum movimento errado, prejudicando ainda mais a lesão.

Pilates com aparelho - foto: Getty Images

Preço

Pilates com aparelhos: Como as turmas são reduzidas, o preço do pilates com aparelho costuma ser mais caro.

Pilates solo: mais comum nas academias, as turmas são grandes e o preço costuma se encaixa melhor no orçamento.

Pilates no solo - foto: Getty Images

Treino mais diversificado

A fisioterapeuta Débora Alves explica que a identificação com a técnica varia muito de pessoa para pessoa. No entanto, os exercícios feitos em studio, com a ajuda dos aparelhos, costumam ser mais diversificados e por isso caem com mais dificuldade numa rotina.

Pilates com aparelho - foto: Getty Images

Consciência corporal

A bailarina Alice Becker, proprietária da Physio Pilates, conta que ambas as técnicas trabalham igualmente a consciência corporal. "Esse é o elemento essencial do ensino de pilates, independente de ser feito no solo ou em equipamentos". No entanto, os equipamentos te ajudam a sentir melhor o posicionamento e a movimentação das diferentes partes do seu corpo. Para quem tem pouca consciência corporal, a utilização dos equipamentos facilita esta percepção de onde e como o corpo se move.

Pilates com aparelho - foto: Getty Images

Fortalecimento muscular

"Na prática do pilates, pensamos de forma global: o que mais importa não é a força de uma parte do corpo específica, mas sim como ela se integra com todo o resto e como podemos ser mais eficientes usando esta integração, incluindo músculos profundos e superficiais, de todas as partes do corpo", explica Alice Becker.

Pilates com aparelhos: "nos equipamentos podemos trabalhar com uma resistência maior do que apenas a da gravidade e, com isso, aumentar o grau de resistência para os músculos", explica Alice Becker.

Pilates solo: "por ser geralmente mais forte, o pilates no solo pode trazer resultados com mais rapidez que o pilates com aparelhos, caso estes sejam feitos com intensidade menor, ou seja, com a ajuda das molas", explica a fisioterapeuta Débora Alves.



Comente:

Nenhum comentário