Como Usar uma Bola de Exercícios no Pilates




Como Usar uma Bola de Exercícios no Pilates

Quando Joseph Pilates criou o método Pilates, ele pôs ênfase na importância do "centro de força". Ele usou esse termo se referindo ao modo como os músculos do tronco, dos glúteos e das costas trabalham em harmonia para aumentar a eficiência dos movimentos e equilíbrio dinâmico. Instrutores logo descobriram que a bola de exercícios de Pilates era uma das melhores maneiras de trabalhar os músculos do tronco, também conhecido como o "centro de força". Por esse motivo, os exercícios de Pilates e a bola de estabilidade formam um par "que caiu do céu". O fato de que a bola de exercícios imita o movimento dos exercícios de Pilates adiciona uma pequena porção de doçura à esse "casamento" de métodos.

1 - Faça algumas aulas de Pilates com um instrutor certificado. É melhor já possuir um entendimento dos princípios básicos do Pilates antes de começar com os exercícios que fazem uso da bola.

2 - Faça algumas classes de bola de estabilidade. A bola é bem diferente de outros tipos de equipamento. No começo você irá precisar de orientações de como utilizá-la adequadamente.

3 - Experimente a ponte de ombros do Pilates usando a bola de exercícios. Deite-se de costas com as suas pernas esticadas. Coloque os pés em cima da bola. Eles devem estar separados de acordo com a largura da sua cintura. O topo da sua cabeça deve estar alinhado com a base da sua coluna.

4 - Inale para se preparar. Enquanto você exala, engaje o seu tronco e levante cada vértebra do chão. A maior parte do seu peso deve ser suportada pelos seus ombros.

5 - Inale e pare por um momento.

6 - Enquanto você exala, desça o seu tronco de volta para o chão. Tente sentir cada vértebra tocar o chão. Faça oito repetições.

Os benefícios do Pilates, associados aos exercícios com a bola, tornam a aula ainda mais divertida e os resultados são rápidos e aparentes, pois, tonifica e define músculos, melhora a flexibilidade e harmoniza as formas do corpo.

No Pilates com a bola, trabalha-se com as camadas mais profundas da musculatura de maneira muito eficaz. A bola permite que a coluna e os glúteos fiquem apoiados, sem interferir na execução ideal dos exercícios, pois é muito comum que os músculos mais fortes "roubem" o direcionamento da força.

Os exercícios são apresentados de forma bem simples, evitando as séries com infinitas repetições. Esse é o aspecto singular do Pilates: as repetições maçantes não existem. Os movimentos são contínuos (em camadas) e o grau de dificuldade é gradativo. Todos esses exercícios requerem muita precisão e concentração. Por isso, exercitam a capacidade de concentração e relaxamento.

A união dos exercícios do Pilates com a bola faz com que essa aula possa ser praticada por pessoas de diferentes níveis de condicionamento, que se recuperam de lesões ou estão em plena forma. Traz benefícios posturais, uma notável melhora no equilíbrio e coordenação, além da satisfação e diversão proporcionadas pela prática.







Comente: