Pilates na Capsulite Adesiva






A Capsulite Adesiva ou Ombro Congelado é uma doença inflamatória da cápsula articular do ombro.

O exame físico evidencia frequentemente limitação multidirecional dos movimentos ativos e passivos da glenoumeral. As restrições obedecem ao padrão capsular da articulação do ombro - Rotação externa sendo o componente mais restrito, seguido de abdução e a rotação medial sendo o componente menos restrito dos três.

Ela  possui três estágios:

1 - Inflamatório: Início do processo inflamatório. O paciente começa a sentir uma dor aguda no ombro principalmente no movimento de abdução que vai piorando gradualmente tornando-se intensa e limitante. Esse processo pode levar alguns meses até que o individuo perca amplitude em todos os movimentos do ombro, daí vem o nome Ombro Congelado.

2 - Congelado: É a fase da rigidez na qual os movimentos do ombro estão muito limitados tornando complicadas tarefas simples como colocar o cinto de segurança, dirigir, prender o sutiã, atender o telefone ou cozinhar, por exemplo. Pode durar até um ano e meio.

3 - Descongelamento: Estágio em que os movimentos do ombro vão voltando gradualmente. Em alguns casos existe a melhora total, em outros o paciente fica com algumas limitações principalmente na abdução e flexão, onde para chegar a seu objetivo acaba compensando com a elevação do ombro e abdução da escápula. Esta é a fase em que a fisioterapia e o Pilates podem atuar para que a recuperação transcorra da melhor forma.

Todos os exercícios devem ser realizados respeitando os princípios e conceitos do método, respiração, centralização, concentração, precisão e fluidez, crescimento axial, organizações posturais e visualização de imagens, de uma forma geral. Você pode trabalhar os exercícios em várias posturas, varie a postura a cada aula, pode ser na instabilidade, sentado na bola por exemplo com movimentos de pelve e coluna associados, Tem um mar de possibilidades! Tentei colocar todas as possibilidades, porém você utiliza o que for preciso dependo da avaliação funcionar do ombro que precisa ser feita para se decidir de onde partir, sem esquecer de quadro álgico que é fato determinante para as decisões.

Em caso de dor podemos utilizar técnicas manuais específicas, a crioterapia é um recurso fácil que não precisa de aparelhagem podendo ser facilmente aplicado no ambiente de pilates, o controle da dor precisa ser utilizado antes do exercícios para se conseguir o mais próximo possível da biomecânica normal articular. Podem ser utilizadas outras técnicas, como as nossas amadas bandagens neuromusculares.

Mobilizações passivas de todas as articulações, em todas as amplitudes de movimento, inclusive das estruturas ósseas, como a escapulo torácica.

Mobilizações ativo assistidas de todos os movimentos de ombro e membros superiores, trabalhar sempre bilateral, com o ombro saudável de espelho para o acometido.

Movimentos:

-Organizar a escúpula e abrir o peito.
-Elevação e depressão.
-Protração e retração.
-Circundução para frente e para trás.
-Flexão e extensão.
-Abdução e adução.
-Rotação interna e externa.
-Soma de movimentos, diagonais de kabat, use a imaginação, "pega um objeto acima da cabela e para esquerda". Simule os movimentos funcionais.

Uma pessoa com Capsulite sofre há muito tempo com dor e incapacidade de realizar suas tarefas diárias com desenvoltura, por isso, normalmente chega ao estúdio cansada, estressada, esgotada emocionalmente. Temos que levar isso também em consideração ao montar a aula e explicar que ainda levará tempo até que ela se veja livre do problema.

Pilates nos proporciona o restaurar dos movimentos e isso é um presente tanto para o aluno como para o instrutor.

A capsulite adesiva é uma das patologias do ombro mais conhecidas porque acomete um grande número de pessoas. Na coletânea excelente de pilates tem um livro, que se chama Pilates na Patologia de ombro. Clique no link e dê uma olhada no conteúdo. Pode te ajudar a entender e a trabalhar melhor com o Pilates nas patologias de ombro.


Comente:

Nenhum comentário