Pilates na Fibromialgia






A fibromialgia é uma síndrome clínica que se manifesta com dor no corpo todo, principalmente na musculatura. Comumente a fibromialgia cursa com sintomas de fadiga, intolerância ao exercício e sono não repousante (isto é, a pessoa acorda cansada). Nós, médicos, chamamos a fibromialgia de uma síndrome, pois ela é caracterizada por um grupo de sintomas sem que seja identificada uma causa única para eles.

Geralmente, quem tem fibromialgia têm dificuldade para adormecer, manter o sono na madrugada ou até que dormem a noite toda mas acordam cansados como se não tivessem dormido. Os pacientes fibromiálgicos manisfestam uma condição pouco esclarecida que também atrapalha o sono e acarreta sonolência diurna: a síndrome das pernas inquietas, sendo descrita como uma sensação desagradável ou como caimbras, arrepios, formigamentos, puxões, coceiras, dores ou queimação entre os tornozelos e os joelhos ou na perna toda.

O Método Pilates estimula a circulação, melhora o condicionamento físico, a flexibilidade, o alongamento e o alinhamento postural, alem de proporcionar melhoras nos níveis de consciência corporal e da coordenação motora. Tais benefícios ajudam a prevenir lesões e proporcionar um alívio de dores crônicas, porem os mesmos dependem da execução de seus exercícios respeitando todos os 8 os princípios básicos do método (concentração e consciência, controle, respiração, movimento fluido, precisão, equilíbrio e força).

O Pilates consiste em exercício físico que utiliza recursos como a gravidade sobre o próprio corpo e a resistência das molas projetadas para os próprios aparelhos do Método, que servem tanto para resistir ou assistir na execução de um movimento. Ao contrário do que exercícios de resistência tradicionais baseados em treinar os músculos de forma isolada, os exercícios de Pilates tem uma abordagem de reagrupamento muscular total, que exige a ativação e coordenação de vários grupos musculares ao mesmo tempo.

O objetivo principal do método é proporcionar aos seres humanos um aprofundamento na compreensão de seus corpos. Assim, vai contribuir para o controle da síndrome. Inicialmente há um aquecimento para melhorar o aporte sanguíneo para os músculos e tendões, permitindo uma melhor resistência física para os exercícios. Depois desse aquecimento, o paciente é sujeito a diversos exercícios, de acordo com seu limite de resistência.

Portanto o Pilates, realizado com qualidade e com profissionais capacitados, pode ser um complemento ao tratamento da fibromialgia, através do bem estar físico e emocional proporcionado pela técnica.

Para quem trabalha com Pilates, eu tenho uma ótima indicação para o trabalho de patologias de ombro ou desvios posturais. É importante o profissional estar atento a esses dois "problemas" porque, provavelmente, estarão associados ao paciente que tem fibromialgia. Então saiba mais clicando:





Comente:

Nenhum comentário