Pilates faz bem tanto para mamãe quanto para o bebê




 

Muitos já sabem que o Pilates traz benefícios. Mas esse benefício também vai para o bebê?

É de suma importância seguir uma vida saudável quando carregamos um outro ser dentro de nós. Durante a gravidez a mulher passa por um turbilhão de mudanças, tanto internas como externas, que se não forem atentamente cuidadas, podem gerar dores e desconfortos durante a gestação. Por isso, para as futuras mamães, existem diversas opções de atividades, entre elas, o Pilates.

Conheça um guia completo sobre Pilates em Gestantes

O Pilates tem a capacidade de diminuir as dores lombares e o inchaço, manter o peso e melhorar o condicionamento físico, a flexibilidade, o equilíbrio, a coordenação motora e a respiração. Conforme o bebê e a barriga crescem, é preciso estar bem fisicamente para suportar o peso da criança. Ao realizar a prática, a mãe obtém mais segurança e prepara o corpo para lidar melhor com todas as fases da gestação.

Antes de iniciar qualquer tipo de atividade física, é necessário ter o aval do médico, principalmente as que nunca participaram de uma aula. A prática não é recomendada para quem corre algum tipo de risco na gravidez. O ideal é manter o ritmo leve e constante, sem nenhum abuso, para manter a saúde da mãe e do bebê.

É comum que grávidas tenham muitas dores nas costas, e que no de correr da gestação seus músculos enfraqueçam. Por ser considerado como uma atividade de baixo impacto, as mamães podem ter no Pilates uma ótima alternativa para fortalecer a região. O bebê também é beneficiado quando a mãe pratica pilates:

– Recebe o hormônio do relaxamento, através da placenta, o que contribui para o bem-estar dele;

– Tem um crescimento adequado dentro do útero, já que a gestante controla melhor seu peso;

– Sente a tranquilidade da mamãe, que deve estar mais disposta e com a autoestima lá em cima.

Por fim, o pilates ainda combate caimbras musculares e inchaços nas pernas, pois melhora a circulação sanguínea. E alguns exercícios aliviam a pressão sobre as costas e a bacia, dando mais espaço para o bebê se posicionar adequadamente para o parto.



Comente:

Nenhum comentário